Corridas em nossa vida

PrimeiraCorrida

 

Eu tinha vontade. Faltava coragem para correr com o Danilo .

Sempre gostei de esportes. Na infância, foram as aulas de ballet e natação. Na adolescência era a academia de ginástica que me fascinava.Não ficava sem as aulas de localizada e aeróbica. Depois da maternidade não consegui ter regularidade na prática esportiva. Filhos pequenos, trabalho, rotina corrida e novas prioridades....quem é mãe sabe do que estou falando. Cuidar de nós mesmas fica em segundo plano.

A reviravolta veio em 2013. Comecei a frequentar a Lagoa do Taquaral, um parque público próximo de casa. Você pode caminhar por dentro do parque- são 2 km e meio ou por fora- são 6 km. Gosto muito de natureza, lugares ao ar livre e foi ali que comecei a levar Danilo para passear. As saídas alegravam meu filho, via nele um rostinho de satisfação. Comecei a procurar por uma professora de educação física adaptada. Quem procura acha! Conheci a Pamela Spanholeto , profissional com 10 anos de experiência na área .Fui logo falando que queria muiiito dar conta de correr com meu filho especial. Tinha o triciclo adaptado e disposição. Faltava dar um tchau para o medo!

Na companhia de uma profissional acostumada com deficientes, encontrei a segurança que procurava. Começamos caminhando, lentamente. Treinávamos duas vezes por semana, sempre no final da tarde. Eu precisava ter fôlego para empurrar Danilo, que pesa 41 kg e o triciclo, num total de 50 kgs e lidar com a emoção do momento. No início alguns metros já faziam o coração acelerar. Mente e físico andam juntos na preparação. Aos poucos consegui trotar ( corrida leve ). Alternava caminhada com trote. E controlava os níveis de emoção. Para mim esta sempre foi a parte mais difícil.... o emocional. À medida que fui me sentindo capaz, tranquilizava-me. E senti o mesmo processo ocorrendo com Dan. A atividade física cansava meu adolescente. Sim, o prazer é dele também! Não é porque  não anda que não cansa. É como se fôssemos um só e a minha sensação de bem estar é dele também.Cansaço duplo! Forças que se somam!

A primeira corrida de rua foi em abril de 2014. Encaramos 5 km na Corrida do Centro Infantil Boldrini, que trata crianças com câncer. Corremos por uma boa causa e queria que a primeira fosse assim. A Pamela estava junto com a gente, sempre presente. Corremos devagar, nos revezamos para empurrar o triciclo. Quando uma cansava a outra pegava o garotão. Nas duas vezes em que oferecem água no percurso, aproveitamos para jogar água no rosto do Dan. Cruzamos a linha de chegada depois de 40 minutos. Quando você se aproxima da reta final parece um sonho. Intermináveis 500 metros finais. Jamais poderia imaginar que em 6 meses de treinamento eu e Dan conseguiríamos finalizar os 5 km. A superação através do esporte.

E uma vida corrida tinha início. Seremos eternamente gratos a você, Pam!

Conpartilhe

Postagens Relacionadas

Próximo
« Anterior
Anterior
Próximo »