À vida, minha gratidão.

 

À vida, minha gratidão

fer brolezi

Não é só o nome que eu e meu xará Fernando temos em comum. Agitados, ansiosos, falamos e corremos!
Corremos e nos fortalecemos !
A sua voz e sua vontade em incluir também são minhas, Fer. É de todos!
Fala que queremos te escutar!

À vida, gratidão por ter me apresentado a corrida.
À corrida, gratidão por ter me feito redescobrir o prazer de viver.

Ele fala o que o cadeirante não verbal gostaria de expressar. A voz dele não cala. Ela fala pelo Danilo, pelo João Vitor, pelo Mauricio ,pelo Gabriel, pelos gêmeos e pelo Alex.

Grito da liberdade!


Correr é muito mais que empurrar uma cadeira. Correr vai além dos nossos domingos na Lagoa do Taquaral. Das 139 mensagens no Whatss app. Por trás do grupo, a missão de unir famílias que por um destino inexplicado, foram açoitadas pela paralisia.

Virou amizade. Virou vicio! Virou! Fomos presenteados pela vida!

À ela, nossa gratidão!

Fer, pode falar que nós te escutamos.

No propósito e na direção de Deus, sempre!

 — 

Sobre a Autora

Fernanda Terribile é jornalista formada pela PUC Campinas, casada e mãe da Isadora e do Danilo, que tem paralisia cerebral severa. Criou o blog em 2012 para encontrar outras famílias que tenham filhos com deficiência e incentivar a prática do esporte. Participa de corridas de rua com seu filho cadeirante. Conheça!

Dúvidas e Comentários