NASCE O FILHO, E UMA MÃE ESPECIAL

Nasce o filho, e uma mãe especial
por Marina Maria Fontão de Pauli Pignatti

Quando decidi ser mãe, me enchi de expectativas em torno daquele serzinho que começava a crescer dentro da minha barriga. Comecei a sonhar,  a ter milhões de dúvidas,  a me emocionar “a toa”, a  fazer perguntas e imaginar como seriamos no futuro, mãe e filho. Jamais pensei que eu pudesse passar por algum tipo de imprevisto durante a  gestação, Foi aí  que veio a surpresa…aconteceu o que ninguém imaginava que pudesse ocorrer…Aconteceu comigo o que a gente nunca acha que vai acontecer com a gente…me deparei  com a realidade de que meu filho não iria ser como o bebê dos meus sonhos e que teria limitações.

Meu anjo João Vitor nasceu parado, teve que ser reanimado, teve anoxia perinatal. Foi aí que começou sua luta incansável pela vida. No início, para mim e para o meu marido, foi um choque, não conseguia acreditar que tudo aquilo estava acontecendo com a gente, parecia um sonho infinito, que não acabava. Me vi sentindo uma dor que jamais imaginei que um coração pudesse suportar. Meu coração foi invadido por sentimentos, medo, dúvidas, incertezas, angústia, tristeza…Naquele momento só queria meu filho vivo, não importava se ele precisaria de ajuda pra se alimentar, pra andar, pra tomar banho, pra se comunicar, só queria ele comigo.

Com o tempo, fui aprendendo a lidar com a incerteza. Hoje, ela somada com muita, mas muita fé em Deus que me sustentam!  Conviver com a incerteza dos fatos não é tão ruim quanto parece. A incerteza acalma meu coração e me faz continuar com a esperança de que um dia meu filho será capaz de se libertar de algumas limitações que hoje ele tem ou pelo menos me reergue nos momentos de apreensão. Junto a isso aprendi que sem fé em Deus seria impossível estar passando por tudo isso e conseguir permanecer forte sempre. Além disso, aprendi a viver o dia de hoje, um minuto de cada vez. Não sei o dia de amanhã, não vivo mais o dia de amanhã sem antes ter a certeza de que o hoje foi vivido muito bem e intensamente.

Foi em meio a esse turbilhão de sentimentos que de repente tudo mudou surpreendentemente. Passei a olhar a vida com outros olhos,minha vida ganhou outros sentidos, minhas prioridades mudaram, passei a dar valor naquilo que realmente importa. Mudei os meus sonhos e refiz a rota da minha vida! Ser mãe de uma criança especial é sentir o verdadeiro amor incondicional, é ser capaz de tudo, a qualquer momento pra ver o filho feliz! Conheci um amor novo, um amor puro, um amor avassalador, intenso, consumidor, grande…

Meu filho me reconstruiu, me fez me autoconhecer da maneira mais prática possível. Me fez ser capaz de enfrentar e dar conta de uma rotina árdua, pesada, mas que no final do dia me faz agradecer a Deus a cada minuto do dia. O trabalho é pesado, mas logo sou recompensada ao ver meu filho se tornando um vencedor nos pequenos detalhes do dia a dia. Agradeço a Deus todos os dias por esse presente, por essa dádiva que é meu filho!

Sobre a Autora

Fernanda Terribile é jornalista formada pela PUC Campinas, casada e mãe da Isadora e do Danilo, que tem paralisia cerebral severa. Criou o blog em 2012 para encontrar outras famílias que tenham filhos com deficiência e incentivar a prática do esporte. Participa de corridas de rua com seu filho cadeirante. Conheça!

Dúvidas e Comentários